moda

Os looks de Alice em “Os Dias Eram Assim”

Uma coisa que vocês precisam saber sobre mim é: eu sou nostálgica. Pra caramba. Gosto muito de coisas que remetem ao passado, mesmo não sendo exatamente um passado que eu tenha vivido. Vocês vão me ver falando muito sobre coisas assim neste blog.

Outra coisa: eu sou fascinada pela moda de época, especialmente a dos anos 60 e 70. E foi exatamente assim que meu interesse pela moda (e pelos blogs do assunto) começou: numa pesquisa sobre o estilo dos anos 60/70 para uma fantasia que usei na minha Aula da Saudade. É isso que o figurino usado por Sophie Charlotte para viver Alice em “Os Dias Eram Assim” mostra a cada capítulo. Posso dizer sem hesitar que eu usaria absolutamente tudo. Estou fascinada.

A supersérie da Globo se passa entre as décadas de 1970 e 1980. Um tempo em que a juventude cada vez mais manifestava seu desejo de se expressar, mesmo diante de uma forte repressão política e social. E o vestido mostrado na foto abaixo, acreditem, era considerado um escândalo pelas famílias mais conservadoras da época:

Decotão, batonzão, muitos acessórios, vestido curtxéénho e bota de cano alto. A Priscila estudante de Biológicas teria ficado muito feliz usando isso por aí afora. Hippie chic.

alice-look-jeans-rd

Total jeans: camisa com nozinho na frente e calça flare. Parece ter saído de qualquer editorial feito hoje, mas é anos 70. Eu faço zoeira, mas amo o fato da moda ser cíclica. E a bota de cano curto fecha lindamente a produção casual.

alice-saia-veludo-cotele-rdalice-renato-saia-veludo-rd

Camisa branca e saia de veludo (olha ele aí!) cotelê. De novo, algo dos seventies que voltou a ser atual.

look-alice-passeio-renato-rd

Camisa branca é um negócio que não tem erro, né? Aqui ela se mostra numa versão ombro-a-ombro com uma saia que poderia muito bem ser o tapete da sala da sua avó, mas mesmo assim está lindíssima. E a boa e velha bota de cano longo. Uma pena não poder usar esse tipo de bota no litoral do Nordeste, sério mesmo que não pode? Aff.

alice-saia-xadrez-rd

Alice adora uma camisa branca, né? Adorei essa vibe colegial, e gostaria muito de poder reproduzir esse look, embora a sociedade ache ridículo que “balzacas” forcem a barra tentando parecer 9nhas (vou escrever post sobre isso, aguardem!). A-MO saia xadrez; A-MO meia 7/8 e A-MO coturno. Vi uma menina hoje passando pelo meu prédio usando uma meia assim e deu coragem de fazer o mesmo. Minhas pernas são grossas? Foda-se.

Meu look favorito até o momento. Quero, quero e quero. Tubinho de crepe xadrez com a mesma dobradinha meia 7/8 + coturno, e oclões mais quadrados. Inclusive lembra a roupa que usei na Aula da Saudade da qual falei no início do post. Mas só lembra, rs.

alice-llok-faixa-tvglobo

Tubinho é vida. A faixa de helanca nos cabelos era um item bastante usado na época. Não vejo nada datado aí.

alice-bata-rd

Batinha bordada com mangas fluidas ♥. Shortinho confortável pra ficar em casa ou passear na orla num fim de tarde. Isso é muito eu.

Sério, gente, to quereno tudo (eu deveria ter colocado “mistyping alert” no início do post? Espero que não!). O cabelim de franja, pelo menos, eu já tenho, hahaha. A responsável por toda essa maravilha é a figurinista Marília Carneiro e eu quero muito dar um abraço nela. Vamos continuar acompanhando o que mais Marília e Alice terão a nos mostrar nos próximos episódios.

Todas as fotos são do site Gshow.com.br.

moda

Marco Pigossi para a Maresia!

Estava eu na minha jornada diária para a labuta, quando me deparei com uma lindeza de outdoor:

marcoutdoor
Tire esses nomes e imagine a logo da Maresia: era assim o outdoor.

A cearense Maresia é uma das mais importantes marcas de moda masculina/surfwear do país, há vários anos, especialmente aqui no Nordeste. O zumzumzum sobre a campanha para a Coleção Inverno 2017, chamada “Go”, vem de antes mesmo da estreia da novela “A Força do Querer” (Globo, 2017), da qual ele é um dos protagonistas; mas é impossível deixar este evento passar em branco aqui neste conceituado blog. Antes tarde do que nunca, não é verdade?

Não vou comentar sobre as características da coleção porque não entendo nada de moda masculina – logo deixo a tarefa para quem realmente entende; e convenhamos, meninas e menines, sem o menor pingo de vergonha na cara: who cares, né? É o Marco Pigossi.

Apreciem sem moderação:

Este slideshow necessita de JavaScript.

No vídeo abaixo tem o making-of da sessão de fotos, onde ele comenta sobre sua identificação com a marca e como foi participar da campanha.

Apenas.

 

 

beleza

A Base Aliada

Durante muito tempo, eu penei para encontrar um tom de base que não parecesse: ou que eu caí de cara num saco de farinha, ou que enfiei a cara numa churrasqueira cheia de carvão.

Foi assim até o momento em que eu descobri a existência da canadense Makeup Art Cosmetics, aka M.A.C.; e, principalmente que, em meados de 2009, os produtos desta marca estariam à venda no site da Sack’s (hoje Sephora). Como não havia loja física aqui no Recife, a escolha do tom certo era um problema, uma vez que a gama de tons e subtons era maravilhosamente ampla. Demorei um bocado para descobrir o meu.

Mas diversidade é bom e a gente gosta. O Brasil é tão grande, tão caracterizado por essa variedade de etnias e culturas, tudo-junto-e-misturado-ao-mesmo-tempo-agora, que chegava a ser triste que nenhuma marca de cosméticos nacional considerasse a nossa ampla gama de tons de pele. Até que alguém, finalmente, teve esse plim e passou a oferecer bases com cores além dos básicos bege claro, bege médio, café, e contente-se.

É com alegria que vou listar aqui algumas linhas de bases com mais de 10 tons.


NACIONAIS:

  1. QUEM DISSE, BERENICE?, Base Líquida Mate FPS 15: A Quem Disse tem ficado cada vez mais conhecida pela qualidade e preço acessível dos seus produtos. Esta linha oferece 21 tons, incluindo variados tons de pele negra ♥. Andei vendo as avaliações no site da marca, e deu pra ver que vale a pena usar no dia-a-dia.
  2. VULT, Base Líquida HD Alta Cobertura: A Vult é daquelas marcas queridinhas de farmácia que têm caprichado cada vez mais na qualidade. A linha de que estou falando oferece 16 tons, e promete efeito matte com hidratação e disfarce das linhas de expressão.
  3. NATURA, Base Líquida Radiance FPS 15 Una: A Natura demorou para ampliar a sua cartela de produtos para a pele! Mas, finalmente, chegou chegando: esta base oferece 18 tons e, segundo o site da marca:

    “O Complexo Lift Radiante combina microesferas que captam a luz natural refletida na pele, e ativo tensor, que confere radiância e disfarce imediato das linhas de expressão, perfeito para peles normais ou secas”.

    E ainda promete 12 horas de duração. Será?

  4. NATURA, Base Líquida Matific FPS 15 Una: É basicamente a versão matte, com formulação para pele normal a oleosa. Apresentando 18 tons, sua formulação é livre de óleos e contém microesferas de babaçu, que controlam a oleosidade; e promete segurar essa barra que é gostar de você a pele sequinha por até 8 horas.
  5. CONTÉM 1G, Base Líquida Facial Segunda Pele FPS 20Esta base oferece 12 tons, e propõe hidratação. Há quem diga que a linha Velvet é melhor, mas esta possui apenas 9 cores e acabou ficando fora desta lista.
  6. *UPDATE* O BOTICÁRIO, Base Líquida Make B. Color Adapt: Menção honrosa à primeira marca de base que usei na vida, e que motivou a pesquisa para este post. Esta linha apresenta 12 tons (no site tem menos, aff) que prometem se adaptar à cor natural da sua pele; com uma “cobertura inteligente, que aumenta a cada aplicação”. Alguém já testou?

GRINGAS:

  1. MAYBELLINE, Base Fit Me: A Maybelline é aquela lindeza que a gente já conhece. Produtos bons, baratos e que a gente encontra em qualquer boa rede de farmácias e supermercados. A linha Fit Me foi uma alegria, justamente pelo fato de apresentar 19 tons; e esta belezura promete controlar o brilho por 12 horas. Este link orienta sobre como escolher o tom mais indicado para a sua pele.
  2. MARY KAY, Base TimeWise, Acabamento Luminoso: A Meriquêi chegou para conquistar a gente; e 10 entre 10 conhecidas minhas que usam este produto, simplesmente adoram. A página diz que são 14, mas se eu não estou doida, vi 17 tons. Quanto mais, melhor.
  3. MARY KAY, Base TimeWise, Acabamento Matte: Esta base promete ótima fixação e resistência ao suor; considerando o clima hellcifense, isso está acima de qualquer outra qualidade. Me ganhou. Mais uma vez a página diz que são 14, mas se eu não estou doida, vi 17 tons. Que bom, então.
  4. MAC, Todas as Bases: A MAC é amor. Só a linha Studio Fix, que é a que eu uso desde sempre, apresenta 42 tons. Não tem erro. As restantes oferecem pouca coisa: tipo a Pro Longwear, com apenas 24 tons; a Mineralize, com 20 tons; a Matchmaster (quereno), com 12 tons que prometem se adaptar ao seu tom de pele; enfimenfimenfim.
  5. CLINIQUE, Base Even Better Makeup: São 12 tons, e olha o que eles prometem:

“Com a fórmula oil-free e desenvolvida por dermatologistas Even Better Makeup SPF 15 algo incrível acontece: uma pele mais luminosa e uniforme é criada. Áreas escurecidas, sinais de acnes passadas e de envelhecimento ficam visivelmente reduzidas. Para todos os tons e tipos de pele. Veja os primeiros resultados em apenas 4 a 6 semanas.”

Uau, então.

Uma ferramenta que eu gosto bastante para saber qual o melhor tom de base para mim, de acordo com a sua marca, é a Findation. Se você já encontrou uma base para chamar de sua mas gostaria de conhecer outras marcas, sabendo qual será o seu tom certinho, aqui vai um passo-a-passo. Você vai ver que é bem simples:

findation def1findation def2findation def3

Ninguém com cara de gueixa ou de Oompa Loompa de agora em diante.